Análise da mamãe nerd: pomadas contra assaduras

Análise da mamãe nerd: pomadas contra assaduras

Eu sou dessas que adora ler um rótulo de cosmético. Sempre quero entender quais as substâncias que compõe um determinado produto e quais são seus efeitos. E agora que sou mãe, virei consumidora de produtos específicos para bebês e tenho mais coisas para pesquisar e entender.

No post de hoje, vou falar sobre cremes para assadura. Não vou me ater a marcas, pois atualmente existem várias disponíveis no mercado. Lembro que há alguns anos só se ouvia falar de Hipoglos. Hoje existem diversas marcas concorrentes e é dos princípios ativos dos principais cremes contra assadura é que vou falar,

A principal causa das assaduras é a umidade. Por mais que você troque a fralda do bebê com uma boa frequência, nem sempre a fralda consegue absorver tudo. Além disso, em dias quentes o bebê transpira e a umidade acumulada nas dobrinhas pode ser um prato cheio para fungos e bactérias, que adoram calor e umidade para se reproduzirem.

Sendo assim, no verão aqui dos trópicos (que é úmido e muito quente), os bebês acabam sofrendo com as assaduras, mesmo que os pais sejam cuidadosos, já que a pele dos bebês é muito delicada.

Leia também: Hipoglós funciona

Quando a assadura ainda não se instalou, os cremes ou pomadas podem ser utilizados para evitá-la ou pelo menos minimizar as chances de ocorrência. Esses cremes e pomadas comerciais também são úteis quando a assadura está no estágio bem inicial (apenas um leve avermelhado). Mas quando a assadura está realmente instalada, cremes com antibióticos ou antimicóticos podem ser prescritos pelo médico.

Como não sou médica, nem vou me atrever a falar desses cremes prescritos. Vou falar apenas das substâncias contidas nos cremes e pomadas comerciais.

A primeira substância da qual vou falar é o óxido de zinco.

O óxido de zinco é a substância mais usada na prevenção de assaduras. Se você for a farmácia e ler as caixinhas dos cremes e pomadas, vai notar que a maior parte delas contém essa substância.

O óxido de zinco é pouco solúvel em água. Dessa maneira, ele forma uma barreira na pele, impedindo que boa parte do xixi e do cocô entre em contato com a pele. Quando a pomada contém apenas óxido de zinco e alguns excipientes, ela é bem chatinha de passar, pois é ruim de espalhar e cria uma camada mais grossa na pele, o que é vantajoso já que atua como barreira. Só que quem conhecia Hipoglos do passado, deve se lembrar que ela era terrível para remover da pele. Bom, as mamães usavam (e ainda usam) um chumaço de algodão com um pouco de óleo Johnson ou óleo mineral para remover a camada de pomada antes do banho.

Para facilitar o espalhamento, algumas substâncias emolientes foram adicionadas em cremes a base de óxido de zinco, como o óleo de amêndoas. Isso é bacana, porque ajuda a deixar a pele hidratada e o próprio óleo também atua como barreira. A Hipoglos atual possui óleo de amêndoas em sua formulação.

Marcas comerciais que eu testei e que são a base de óxido de zinco:

Dove Baby: também contém extrato de calêndula

Desitin: também contem Vitamina E e Aloe barbadensis (Babosa)

Hipoglos: também contém óleo de amêndoas, vitamina A, vitamina D e lanolina

Vitaglós: contém também Vitamina A e Vitamina D

As vitaminas agem na pele de diversas maneiras. A vitamina A atua na hidratação, manutenção e desenvolvimento do tecido epitelial. A Vitamina D ajuda a minimizar inflamações. A Vitamina E é antioxidante e anti-inflamatória, sendo presente em vários cosméticos. Por essas razões, essas vitaminas são frequentemente encontradas nos cremes anti-assaduras.

Dessas marcas mencionadas, eu diria que a Desitin e a Dove Baby são mais práticas porque espalham melhor e são mais fáceis de remover da pele com algodão ou lenços umedecidos. As outras marcas “grudam” mais e é necessário usar óleo.

Agora vou falar da Lanolina

Se você conhece alguém que é vegan, provavelmente essa pessoa não utiliza produtos com lanolina, uma vez que essa substância é obtida a partir da lavagem da lã de carneiros e outros animais. A lã, para ser comercializada, tem que ter todo o sebo removido. Esse sebo consiste no que chamamos de lanolina e é uma substância que é usada na proteção da pele dos animais (junto com a lã, ajuda a proteger das intempéries e de microorganismos). É uma substância gordurosa, que é utilizada há centenas de anos por seres humanos, pois é altamente hidratante e emoliente.

O Hipoglos contém lanolina em sua formulação. Não vi um creme contra assaduras que tenha como ingrediente principal a lanolina, mas ela aparece na lista de ingredientes. Não é muito solúvel em água, então também cria uma barreira protetora.

Em outro post, mencionei sobre produtos a base de lanolina usados para hidratar os mamilos e recuperá-los em caso de rachaduras, durante a amamentação. Esses produtos são completamente seguros para o bebê. Por essa razão, podem também ser usados como creme anti-assaduras.

Nas primeiras semanas de vida do Joaquim, meus mamilos ficaram um pouco machucados e o Lansinoh (um creme comercial a base de lanolina) e as conchas de amamentação me ajudaram muito. Atualmente acostumei e não tenho mais problemas. Só que sobrou Lansinoh, já que eu tinha dois tubos e usei muito pouco. Depois de pesquisar, descobri que posso usá-lo como creme contra assaduras. E tem sido muito bom, porque espalha bem e não mancha as roupinhas do meu filho.

Vamos agora falar do dexpantenol (ou apenas pantenol).

É conhecida principalmente pelo nome da marca comercial mais famosa (Bepantol). Pode aparecer nas bulas dos produtos com outros nomes (Pró-Vitamina B5, Butanamide, 2,4-dihydroxy-N-(3-hydroxypropyl)-3,3-dimethyl-, D-pantenol, Propanolamine, N-pantoyl-, etc).

É solúvel em água, então é menos grudenta que a Lanolina e o Óxido de Zinco. Por ser menos grudento, costumo usar esse produto no pescoço gordinho do meu bebê (que também assa!) e dessa forma fica menos engordurado.

O Pantenol extrai a humidade da atmosfera e prontamente se liga às moléculas de água. Por essa razão, tem ação hidratante. Também penetra eficazmente na pele e ajuda a recuperar ferimentos superficiais mais rapidamente.

Cólica na gravidez? Entenda e saiba como aliviar os sintomas

Cólica na gravidez? Entenda e saiba como aliviar os sintomas

Você já deve conhecer bem os sintomas de uma cólica menstrual. As dores costumam marcar presença todos os meses, em diferentes intensidades. De certa forma, a maioria das mulheres já estão acostumadas. Mas, e quando acontece uma cólica na gravidez? Quais são as causas e como amenizar o desconforto? Há motivos para se preocupar? Essas são dúvidas muito comuns entre as nossas mamães e nós estamos aqui para esclarecê-las!

Afinal, o que são cólicas?
Para entender por que as cólicas acontecem, precisamos saber que o útero é um tecido muscular: por isso, qualquer tipo de contração pode provocar dores – as chamadas cólicas. Assim, é normal senti-las até mesmo nas relações sexuais e orgasmos, que estimulam um movimento diferenciado no útero.

Na menstruação, as contrações ocorrem para que seja possível promover a descamação do sangue acumulado no endométrio, tecido que reveste o útero. O movimento de “expulsão” dessa camada pode ser leve ou intenso, o que explica a variação das dores.

Em adolescentes o desconforto pode ser mais intenso, pois o canal de passagem do sangue é mais estreito e requer um esforço concentrado. Com a abertura do colo uterino ao longo dos anos – estimulado inclusive pelo parto – a dor tende a diminuir e até mesmo desaparecer.

Existem ainda outros fatores que aumentam a intensidade das contrações, como a presença de miomas, pólipos (pequenos tumores) e endometriose. Se as dores forem muito insuportáveis, é recomendado procurar um ginecologista para investigar a presença dessas patologias.

Como diferenciar os diversos tipos de cólica?
Existem ainda outros tipos de cólica, como: renal, intestinal, biliar e estomacal. A lógica é a mesma: contrações musculares dolorosas. Como todos os órgãos envolvidos estão localizados na região abdominal, é muito difícil identificar a origem do desconforto.

De maneira geral, cólicas estomacais e intestinais acontecem quando há ingestão de grande quantidade de comida ou prisão de ventre. As cólicas biliares são causadas por excesso de alimentos gordurosos, que exigem muita atividade do fígado. Já as cólicas renais são resultados da formação de cálculos de cálcio (as famosas pedras no rim), que obstruem os canais urinários e dificultam o funcionamento dos rins.

Na dúvida sobre qual tipo de cólica está sentindo, procure seu médico: somente ele poderá fazer um diagnóstico adequado.

Leia também: comprar Atroveran

Cólica na gravidez: o que pode ser?
Durante a gestação, os movimentos do útero podem ser naturalmente mais intensos, sobretudo nos primeiros três meses. Portanto, se você estiver sentindo pequenos desconfortos, fique tranquila: a cólica na gravidez é normal. Esse tipo de dor acontece porque seu útero está se adaptando à presença do seu bebê: a expansão do útero pressiona ligamentos, musculatura pélvica, outros tecidos e veias, além de ocorrerem várias alterações hormonais.

Outra causa da cólica na gravidez é a alimentação inadequada, que pode causar desconfortos e cólicas intestinais. A jornalista Renata Motta, por exemplo, afirma ter abusado da comida e sofrido muito com cólicas durante a gestação. “Fiz tudo errado: eu sentia muita fome e comia muito, inclusive alimentos que meu médico mandava evitar, como chocolate e refrigerante, por exemplo”, conta a mamãe da pequena Maria Júlia, de 6 anos.

Nem todas as mamães passam por essa experiência, que depende de cada organismo. Então, se acontecer com você, fique tranquila. Mas, cuidado com as dores excessivamente fortes: elas podem sinalizar que algo está errado.

Quando a cólica na gravidez pode ser perigosa?
Se houver aumento da intensidade e frequência das cólicas acompanhadas por outros sintomas, como febre, calafrios, vômitos e dor ao urinar, procure seu médico imediatamente. No primeiro trimestre da gestação, elas podem indicar o risco de abortamento. Já no segundo e no terceiro trimestres, existe a possibilidade de parto prematuro.

O médico avaliará a origem dos sintomas e a medicação adequada para cada caso. Para ajudá-lo nesse diagnóstico, preste atenção no padrão da dor e descreva suas características de maneira objetiva.

Algumas causas de cólicas com maior intensidade:

malformações uterinas;
disfunções placentárias;
alterações hormonais, como hipotireoidismo;
infecções urinárias;
miomas;
gestação ectópica (fixação do óvulo nas trompas ao invés do útero).
Leia mais:
Diabetes e Pressão alta na gravidez: como evitar?
Pré-natal: o que perguntar em cada uma das consultas?
Como escolher a maternidade: 11 dicas fundamentais
10 passos para uma gravidez saudável

Como aliviar os sintomas?
No caso da professora universitária Marina Codo Teixeira, as pequenas cólicas aconteceram com frequência até o final do terceiro trimestre de gestação. “É semelhante à cólica menstrual, parece que vai descer a qualquer momento. Isso dá um desconforto bem grande: não saber a origem da dor gera muita tensão”, explica Marina.

Diante de uma crise, a principal recomendação é fazer repouso imediato para relaxar a musculatura pélvica, o que alivia os sintomas e evita maiores problemas: afinal, não é possível saber se há uma causa mais grave por trás do desconforto.

“Depois do primeiro trimestre, as cólicas ficaram mais esporádicas. Acontecem geralmente quando exagero, ando muito ou fico mais agitada que o normal. Aí, quando começa a cólica, paro o que eu estiver fazendo, vou para casa e coloco os pés para cima”, ensina a professora grávida de 6 meses, conforme recomendações do ginecologista.

Já para evitar a prisão de ventre e as cólicas intestinais, o ideal é beber muita água, e evitar alimentos que provocam gases, como:

leguminosas: feijão, ervilha, lentilha, grão-de-bico;
vegetais verdes: couve de bruxelas, brócolis, repolho;
alimentos ricos em frutose: frutas, alcachofra, cebola;
lactose: em todos os derivados do leite;
alimentos com muito amido: massas, milho, batata;
grãos integrais: arroz, aveia, farinha integral;
Confira outras dicas que ajudam a aliviar os sintomas da cólica na gravidez – todas mediante liberação médica:

atividades físicas leves, como yoga e alongamento;
massagens ajudam a diminuir o inchaço e relaxar os músculos;
variações de postura e posição do corpo, para evitar sobrecarga de um músculo específico;
uso de analgésicos e antiespasmódicos.
Quando as cólicas indicam a aproximação do parto?
Se a gestação estiver na reta final, as mamães podem sentir outro tipo de cólica: são as chamadas Contrações de Braxton Hicks, que ajudam a posicionar o bebê corretamente para o parto. Elas costumam ter duração de 15 a 30 segundos, breves e descompassadas.

Quando realmente começar o trabalho de parto – por volta da 37º semana – as contrações e as dores serão muito mais intensas e ritmadas: isso significa que o organismo está se dilatando para que o seu bebê possa sair. Está na hora de receber seu filhote!

E depois do parto?
Após o nascimento do bebê, as cólicas podem continuar por um tempo: afinal, o corpo da mamãe estará se movimentando para voltar ao normal. Não é preciso se preocupar: curta o seu bebê e aproveite intensamente esse momento, pois ele passa muito rápido e com certeza você vai sentir saudades!

Tratamentos naturais para curar o terçol rapidamente

Tratamentos naturais para curar o terçol rapidamente

O tempo todo estamos expostos às bactérias, por isso sempre nos recomendaram não tocar os olhos com as mãos se não estiverem limpas ou tivermos mexido com dinheiro.
Higiene íntima: como fazê-la corretamente
Como manter o cabelo liso e brilhante
5 dicas para superar uma lesão no joelho

98
Compartilhado

Um terçol se caracteriza por ser uma inflamação não dolorosa, mas perturbadora para abrir e fechar os olhos. É uma pequena lesão que costuma aparecer a nível de pálpebra, em sua região externa. Estes deixam muitos sintomas incômodos que fazem com que queira fazê-lo desaparecer o quanto antes.

Neste artigo te ensinaremos um pouco mais sobre estas protuberâncias e também deixaremos opções naturais para que possa combatê-los.

Causas dos terçóis
Dentre as causas mais comuns se encontram:

Inflamação da pálpebra
Infecção de algum folículo dos cílios
Inflamação das glândulas de suor dos cílios
Infecção por estafilococos ou bactéria comum da pele
Falta de higiene
Má alimentação
Tocar muito os olhos
Usar toalhas infectadas
Desidratação
Deficiência imunológica
Ainda que a causa mais provável seja a proliferação das bactérias da espécie Staphylococcus aureus (estafilococo), algumas vezes também influenciam os patógenos anteriores.

Nunca devemos estalar estas inflamações, já que a única coisa que vamos gerar é que tal bactéria se propague. Como consequência, aparecerão novos terçóis, que cada vez serão mais dolorosos.

A boa notícia é que eles se desenvolvem prontamente e desaparecem em questão de dias, a parte de que não são perigosos para a saúde.

Veja também: 5 truques para eliminar um terçol com facilidade

Sintomas do terçol
Os sintomas que indicam a possível aparição de um terçol são:

Sensação de pálpebra caída
Vermelhidão na linha dos cílios
Sensibilidade à luz
Piscar excessivo
Lacrimejamento incontrolável
Visão borrada
Quando estes já aparecem na superfície da pálpebra geram muito incômodo para abrir e fechar o olho. Ainda, podemos perceber um leve aumento da temperatura da área, devido à infecção.

Remédios naturais para tratar um terçol
Babosa

Graças ao seu efeito analgésico e cicatrizante, a babosa é um dos remédios naturais que podem nos ser muito úteis na hora de desaparecer com esta condição incômoda.

O que devemos fazer?
Pegue a folha da babosa e descasque-a, com a finalidade de poder extrair a polpa e tê-la como um gel.
Molhe uma gaze na polpa e aplique diretamente sobre o calombo na pálpebra.
Deixe agir por meia hora e retire com água morna.
Seque com uma toalha de papel.
Faça o procedimento 2 ou 3 vezes por dia para conseguir resultados melhores.

Leia também: Terçol tratamento

Alho
Graças às suas propriedades antibacterianas e antimicrobianas, o alho é muito efetivo para tratar este tipo de problema, ajudando na rápida recuperação do estado da pálpebra.

O que fazer?
Pegue dois alhos e os amasse com a finalidade de obter seu suco.
Em seguida, pegue um cotonete e o umedeça com a substância do alho.
Aplique-o com cuidado para que não caia nada dentro dos olhos.
Repita 2 ou 3 vezes por dia.
Chá de camomila
Se trata de uma erva com grandes poderes medicinais e que também tem efeitos regenerativos sobre a pele. A camomila ajuda a reduzir os incômodos e a inflamação.

Ingredientes
1 pacote de chá de camomila
1 xícara de água (250 ml)
O que fazer?
Esquente a água e, quando ferver, adicione o pacote de camomila e deixe repousar durante 5 minutos.
Coloque o pacote de camomila sobre o olho doente, diretamente sobre a protuberância.
Deixe ali até que fique morno e depois retire.
Repita 2 vezes por dia. Cada vez que aplicar deve durar mais ou menos dez minutos.
O calor ajudará a eliminar o terçol devido a sua permanência sobre o mesmo.
Cebola

Contém antioxidantes e agentes antibacterianos que podem eliminar as bactérias rapidamente. Apesar da má fama que tem por nos fazer chorar, será de grande ajuda ara aliviar esta condição.

O que devemos fazer?
Pegue uma cebola e corte em pedaços.
Coloque sobre uma toalha limpa e feche em forma de compressa.
Coloque diretamente sobre o olho fazendo um pouco de pressão.
Faça-o 3 vezes por dia durante 5 minutos.
Não se assuste e não parar de chorar: isso quer dizer que está funcionado.
Leia também: 5 soluções de origem natural para curar terçol

Cúrcuma
A cúrcuma também conta com propriedades anti-inflamatórias e antibacterianas que podem te ajudar de forma significativa a reduzir a inflamação desta condição na pálpebra.

Ingredientes
1 raiz de cúrcuma de 20 g
½ xícara de água (125 ml)
Preparo
Introduza os dois ingredientes em um recipiente e coloque no fogo durante 5 minutos.
Passado esse tempo retire e empape uma toalha limpa com a mistura.
Aplique diretamente sobre a região afetada, deixando agir durante 5 minutos.
Repita o procedimento 3 vezes por dia.
A visão é um dos sentidos mais importantes e tudo aquilo que a afete representará um incômodo. Por sorte, existe a medicina natural, o que pode nos ajudar a nos desfazer de sinais incômodos que nos perturbem.

 

O que é qualidade de vida?

O que é qualidade de vida?

Apesar de ser um conceito difícil de explicar, a maioria das pessoas percebe intuitivamente o que é qualidade de vida. Ou seja, embora o significado de qualidade de vida não seja, por vezes, óbvio para algumas pessoas, a sua noção é clara para toda a gente. A maioria das pessoas relaciona a qualidade de vida com o “sentir-se bem”. De facto, esta noção de qualidade de vida vai de encontro aos principais fatores que a influenciam, como veremos adiante, que são a saúde, o trabalho e o meio ambiente.

Mas afinal, o que é ter qualidade de vida? Se a resposta a esta questão é importante, certamente aquilo que todos procuramos e que iremos abordar ao longo deste artigo será a pergunta fulcral: como melhorar a qualidade de vida?

Conceito de qualidade de vida
O conceito de qualidade de vida é muito abrangente, compreende não só a saúde física como o estado psicológico, o nível de independência, as relações sociais em casa, na escola e no trabalho e até a sua relação com o meio ambiente. De facto, existem naturalmente outros fatores que a influenciam, mas comecemos por ver o que significa qualidade de vida, para a Organização Mundial de Saúde (OMS).

O conceito de qualidade de vida está diretamente associado à auto-estima e ao bem-estar pessoal e compreende vários aspetos, nomeadamente, a capacidade funcional, o nível socio-económico, o estado emocional, a interação social, a atividade intelectual, o autocuidado, o suporte familiar, o estado de saúde, os valores culturais, éticos e religiosos, o estilo de vida, a satisfação com o emprego e/ou com atividades diárias e o ambiente em que se vive.

Qualidade de vida – definição
Para a OMS, a definição de qualidade de vida é a “a percepção que um indivíduo tem sobre a sua posição na vida, dentro do contexto dos sistemas de cultura e valores nos quais está inserido e em relação aos seus objectivos, expectativas, padrões e preocupações”. Trata-se de uma definição que contempla a influência da saúde física e psicológica, nível de independência, relações sociais, crenças pessoais e das suas relações com características inerentes ao respetivo meio na avaliação subjectiva da qualidade de vida individual. Neste sentido, poderemos afirmar que a qualidade de vida é definida como a “satisfação do indivíduo no que diz respeito à sua vida quotidiana”.

Não devemos confundir qualidade de vida com padrão de vida. Muitas pessoas têm uma errada noção de qualidade de vida, confundindo os termos. Padrão de vida é uma medida que calcula a qualidade e quantidade de bens e serviços disponíveis.

Qualidade de vida e saúde
Qualidade de vida e saúde são termos indissociáveis. A Qualidade de vida surge, de tal forma, associada à saúde que muitos autores não as distinguem uma da outra. Para eles saúde e qualidade de vida são a mesma coisa. De facto, a saúde não é o único fator que influencia a nossa qualidade de vida, contudo ela tem uma importância fulcral.

Geralmente, saúde e qualidade de vida são dois temas muito relacionados, uma vez que a saúde contribui para melhorar a qualidade de vida dos indivíduos e esta é fundamental para que um indivíduo ou comunidade tenha saúde. Mas não significa apenas saúde física e mental, mas sim que essas pessoas estejam de bem não só com elas próprias, mas também com a vida, com as pessoas que as cercam, enfim, ter qualidade de vida é estar em harmonia com vários factores.

No que diz respeito à saúde, a qualidade de vida é, muitas vezes, considerada em termos de como ela pode ser afetada de forma negativa, ou seja, a ocorrência de uma doença debilitante que não constitui risco de vida, uma doença que constitui risco de vida, o declínio natural da saúde de uma pessoa idosa, o declínio mental, processos de doenças crónicas, etc. Todas estas situações são castradoras da nossa qualidade de vida.

Neste sentido, uma vida saudável tem um profundo impacto na qualidade de vida das pessoas.

Para saber tudo sobre hábitos de vida saudável, siga este link.

Qualidade de vida e saúde física
A saúde física afeta, obviamente, a nossa qualidade de vida. Por exemplo, existe uma relação entre atividade física, a melhoria da condição de saúde e a qualidade de vida. Da mesma forma, existe uma relação ente uma correta alimentação e a qualidade de vida. A qualidade de vida e alimentação saudável são conceitos que estão estritamente relacionados. Ter uma alimentação saudável e equilibrada é fundamental para o bem-estar do indivíduo. Quando o organismo recebe as quantidades ideais de nutrientes e vitaminas de que precisa, a sua saúde física melhora e consequentemente aumenta a qualidade de vida.

Em resumo, se conseguirmos melhorar a nossa condição de saúde física rumo a uma vida mais saudável, através de uma correta promoção da saúde, então conseguiremos melhorar a nossa qualidade de vida.

Se quer saber mais sobre promoção de saúde, siga este link.

Qualidade de vida e saúde mental
O conceito de qualidade de vida tem vindo a ganhar, cada vez mais, uma importância crescente no domínio da saúde mental e dos cuidados de saúde, aumentando a sua importância no discurso e prática médica.

Não é por acaso que a definição dada pela OMS para saúde é ampla. Ela define-a como “o estado de completo bem-estar físico e mental”. Muitas vezes, algumas pessoas ao pensar em saúde e qualidade de vida deixam de lado a saúde mental.

Contudo, a saúde mental possui, hoje, uma enorme importância. Assistimos ao aumento dos casos de stress crónico e burnout, ansiedade e depressão para além de tantos outros problemas psicológicos e emocionais.

Uma pessoa com a saúde mental debilitada, deprimida, por exemplo, tem grande dificuldade em manter relacionamentos amorosos, desempenhar as funções no trabalho e até mesmo educar os filhos. Uma pessoa com problemas emocionais pode influenciar todos os membros da família. Uma pessoa com a saúde mental afetada está mais propensa à dependência de drogas e de álcool, a contrair doenças infeciosas, desenvolver alergias, doenças auto-imunes, etc. Existem, no entanto, muitas outras consequências nefastas quando descuramos a saúde e o bem-estar mental e emocional.

Cuidar da saúde mental é muito mais simples do que parece, basta manter boas relações com as pessoas que nos rodeiam, ter uma vida amorosa satisfatória, não remoer problemas passados, não ser demasiado exigente consigo mesmo, perdoar-se e perdoar o próximo, rir sempre que puder, chorar quando precisar e amar. Se sentir dificuldades em fazer isto, é melhor procurar ajuda de um profissional.

Estar com boa saúde mental é estar em equilíbrio com o seu mundo interior e com o mundo que o rodeia, é estar em paz consigo mesmo e com os outros.

Stress e qualidade de vida
O stress é na atualidade um grave problema com inquestionáveis implicações na qualidade de vida. Os problemas serão mais intensos dependendo do nível de stress a que o individuo está sujeito, das causas que lhe deram origem e dos sintomas percecionados.

Para saber tudo sobre o stress, suas causas, sintomas, consequências na saúde e qualidade de vida, siga este link.

Meio ambiente e qualidade de vida
O meio ambiente traz vários benefícios ao homem, sendo que um deles é, sem dúvida, melhorar a sua qualidade de vida. A qualidade de vida e meio ambiente são, por isso também, dois termos indissociáveis.

O meio ambiente diz respeito a tudo o que nos rodeia, logo a nossa qualidade de vida está diretamente associada à qualidade do meio ambiente envolvente. Deste modo, a preservação do meio ambiente são um importante fator para aumentar a qualidade de vida das pessoas.

A título de exemplo, imagine uma cidade com muito lixo, muita poluição e sem espaços verdes. Certamente que serão fatores, por um lado, suscetíveis de causar doenças e por outro, não produzem sentimentos de bem-estar nas pessoas. Um praticante de atividade física, por exemplo, quando opta por fazê-lo num espaço verde, une os benefícios do exercício físico a um local de ar puro, tornando a sua atividade muito mais agradável e saudável. Uma pessoa quando realiza uma massagem e pode usufruir simultaneamente dos sons da natureza, consegue tirar ainda mais proveito do seu momento de relaxamento.

Qualidade de vida e respeito ao meio ambiente
Hoje mais do que nunca, notamos que há uma preocupação crescente com o homem para que este tenha uma vida com qualidade.

Entre vários outros factores é preciso preservar e respeitar o meio ambiente para garantirmos a nossa qualidade de vida, para isso, devemos ter atitudes mais assertivas e protetoras, no sentido de tornarmos o nosso habitat melhor tanto para nós como para as gerações vindouras.

É, sobretudo, quando falamos sobre o meio ambiente que vamos tomar consciência de que somos organismos vivos que se encontram em harmonia com a natureza. A nossa qualidade de vida depende do estado em que o meio ambiente se encontra, ou seja, precisamos de ar, água, alimentos, elementos essenciais para a sobrevivência, daí ser fundamental um meio ambiente ecologicamente equilibrado e que garantamos a sua sustentabilidade.

Desta forma, a qualidade de vida depende da qualidade do ambiente, além disso, ela não quer dizer quantidade de vida, devendo, pois, haver um destaque para a valorização e sentido da existência, que deve ter em conta as necessidades de que todos os seres humanos sentem para viver condignamente.

Também não se pode falar de saúde desvinculada do meio ambiente, pois sempre que se melhorar o ambiente estar-se-á a proteger a saúde física e mental do homem.

Qualidade de vida no trabalho
Não é por acaso que muitas empresas e organizações revelam preocupação, hoje em dia, com a qualidade de vida no trabalho. Como sabemos é no trabalho que passamos muito do nosso tempo. Muitas vezes, estamos mais tempo em contacto com os colegas de trabalho do que até com a nossa própria família. Por estes motivos, a qualidade de vida no trabalho, passou a ser vista como fundamental nos tempos modernos. Quando nos referimos a trabalho, referimo-nos às atividades desenvolvidas nas empresas, organizações, na escola, etc.

A qualidade de vida do trabalhador, geralmente, é observada tendo em conta a qualidade de vida nas empresas e a sua produtividade, mas também em aspetos da vida do trabalhador não diretamente ligados ao seu trabalho. Não obstante, algumas polémicas recentes usam a terminologia “qualidade de vida do trabalhador” deixando claro que a qualidade de vida não se limita somente ao local e ao momento do trabalho, mas também à relação com vários outros aspectos, designadamente, a satisfação pessoal, o relacionamento familiar, as oportunidades de lazer, etc.

O que é qualidade de vida no trabalho?
Quando falamos em qualidade de vida no trabalho queremos com isso referirmo-nos aos benefícios e malefícios do ambiente de trabalho para o indivíduo. O objetivo é desenvolver ambientes de trabalho que sejam tão favoráveis tanto para o indivíduo como para a saúde económica da organização.

Conceito de qualidade de vida no trabalho
Como vimos, qualidade de vida é uma expressão que se refere às condições de vida do homem, em vários âmbitos, nomeadamente, o bem-estar físico, mental, psicológico e emocional, relacionamentos sociais, como família e amigos e também saúde, educação e outros aspetos que influenciam a vida humana. O conceito de qualidade de vida no trabalho refere-se a estas condições no local do trabalho, muitas vezes, também referida como qualidade de vida nas empresas.

Importância da qualidade de vida no trabalho
A importância da qualidade de vida no trabalho é crescente no atual contexto económico e social, tendo em conta a relevância que o emprego representa na vida das pessoas e o quanto um bom ambiente organizacional pode ser útil na gestão das pessoas e na melhoria da produtividade das empresas e organizações.

Torna-se claro, que não se pode dissociar o lado humano do lado profissional, uma vez que o homem é provido de competências e capacidades individuais que podem ser alteradas em virtude das condições do meio em que está inserido.

Neste sentido, com o passar dos tempos, as empresas começaram a refletir sobre o bem-estar dos seus colaboradores e a produtividade individual de cada um.
Perante esta nova realidade, o termo qualidade de vida no trabalho começou a ser debatido e implementado nas organizações. Estas medidas tinham como objetivo melhorar a qualidade de vida no trabalho, fundamentalmente, da saúde física e mental dos seus colaboradores.

O termo qualidade de vida nas empresas começou a ser visto como um agente de melhoria na gestão de pessoas, pois colaboradores motivados e saudáveis estão estritamente relacionados com a melhoria no ambiente de trabalho e consequentemente com a produtividade.

Atualmente, os profissionais que se encontram no mercado de trabalho, procuram mais do que um bom salário e benefícios, procuram também um ambiente de trabalho humanizado e adequado. Se o trabalhador sentir conforto e bem- estar no local de trabalho, sentir-se-á motivado, melhorando a sua produtividade.

Trabalho – saúde física e mental
A alteração dos estilos de vida, alterações no mercado de trabalho e dos tempos livres são fatores que têm um forte impacto na saúde das pessoas. O trabalho e os tempos livres deveriam ser uma fonte de saúde para as populações. A maneira como a sociedade organiza o trabalho deveria ajudar a criar uma sociedade saudável. A promoção da saúde gera condições de vida e de trabalho seguras, estimulantes, satisfatórias e agradáveis, melhorando a qualidade de vida no trabalho e nas empresas.

Para saber o que é promoção da saúde no local de trabalho, siga este link.

Infelizmente, todos sabemos que nem sempre é assim. As mudanças a que a sociedade tem estado sujeita, passaram a exigir do indivíduo uma grande capacidade de adaptação física, mental e social. Competitividade, pressão para obter resultados, acumulação de informações e tarefas decorrentes de um mundo cada vez mais globalizado, falta de tempo para o lazer, entre outros fatores, pautam o mundo moderno e acarretam, inevitavelmente, consequências.

A saúde mental conduz a vários tipos de alterações, nomeadamente, do funcionamento da rotina diária, capacidade para trabalhar, qualidade de vida no trabalho, desempenho de papéis familiares e sociais e com o envolvimento em atividades de lazer. Em virtude do seu diagnóstico, dos seus tratamentos prolongados e da incerteza do prognóstico, a doença mental constitui-se como um risco para a qualidade de vida do trabalhador e de quem o rodeia.

O trabalho é uma das principais causas de stress na atualidade. O stress, por sua vez, exerce uma influência direta no desempenho profissional e na produtividade.

O stress crónico tende a desencadear problemas psicossociais intensos. Por estes motivos é que o stress e qualidade de vida no trabalho são conceitos tão presentes no quotidiano dos trabalhadores.

Para saber o que é stress no trabalho, as suas causas e consequências para a saúde, siga este link.

Programas de qualidade de vida no trabalho
Pelos motivos apresentados, as empresas apercebem-se, cada vez mais, da importância da qualidade de vida no trabalho e da sua relação com a produtividade. Por isto, tendem a implementar programas de qualidade de vida no trabalho, que visam melhorar as condições dos trabalhadores.

Estes programas consistem em ações levadas a cabo pela empresa, que passam pela implantação de melhorias e inovações tanto ao nível da gestão, como alterações de índole tecnológica ou outras no ambiente de trabalho. Por exemplo, melhorando a ergonomia, melhorando as condições climáticas, estimulando um melhor relacionamento interpessoal, facultando condições relacionadas com a assistência à saúde e aos filhos, etc. A qualidade de vida nas organizações pode ser francamente melhorada se estas medidas forem bem desenhadas e implementadas.

Tal como no aspeto pessoal, a qualidade de vida no trabalho é essencial para o desenvolvimento dos colaboradores, tanto dentro como fora do ambiente da empresa. Neste sentido, é importante salientar o papel social das organizações também na formação de cidadãos mais conscientes de seu papel na sociedade.

Dicas de qualidade de vida no trabalho
A atitude dos trabalhadores de uma forma individual também possui um forte impacto na qualidade de vida e ambiente de trabalho. Veja, de seguida, algumas dicas para melhorar a qualidade de vida no trabalho:

Foco – Um profissional focado e comprometido com seu trabalho sofre menos interferências negativas do ambiente;
Afaste-se das “fofocas” – Conversas fúteis sobre a vida dos colegas e superiores só alimenta um ambiente hostil. Afaste-se delas e procure eliminar esta conduta do seu dia-a-dia;
Aprenda a trabalhar em equipa – O trabalho em equipa é uma das principais habilidades exigidas pelas empresas. Colabore com seus colegas e aprenda com eles também;
Cumpra prazos e horários – Cumprir as suas tarefas com qualidade e dentro dos prazos evita stress desnecessário e melhora o seu desempenho, evitando que venha a ser questionado sobre o mesmo.

Leia também: Saúde

Cultive bons relacionamentos – Mantenha boas relações interpessoais com seus colegas e superiores. Isso torna o ambiente melhor e mais saudável.
Qualidade de vida na terceira idade
A qualidade de vida não se esgota no tempo. Muitas pessoas estão preocupadas e questionam-se sobre a melhor forma de ter uma boa qualidade de vida, no presente. Contudo, a qualidade de vida deve também ser encarada como um objetivo futuro e duradouro. A longevidade é cada vez maior, porém por vezes com uma qualidade de vida reduzida. Muitos tratamentos médicos permitem-nos melhorar a nossa condição de saúde, contudo muitas vezes à custa de terapêuticas que nos debilitam e reduzem a qualidade de vida.

Devemos, pois, procurar uma boa qualidade de vida em todas as fases da nossa vida, cientes de que é no idoso que, muitas vezes, observamos os maiores problemas.

As opções que fazemos ao longo da vida, como o tipo de alimentação, o exercício físico, as condições de trabalho, o meio ambiente em que vivemos, etc são tudo fatores que irão influenciar não só a nossa longevidade e saúde, como também a nossa qualidade de vida atual e futura.

Perante as alterações demográficas que se começaram a verificar, no último século, e que nos mostram uma população cada vez mais envelhecida, torna-se imperioso proporcionar aos idosos não só uma sobrevida maior, mas também uma boa qualidade de vida.

Mediante a subjetividade que o conceito de qualidade de vida do idoso acarreta, torna-se necessário orientar as políticas para um envelhecimento bem sucedido, o que para a maioria dos idosos, está relacionado ao bem-estar, à felicidade, à realização pessoal, enfim, à qualidade de vida nessa faixa etária (terceira idade).

Como melhorar a qualidade de vida
Para que possamos garantir uma boa qualidade de vida no futuro, devemos começar já a preocuparmo-nos com a manutenção de hábitos saudáveis, a saber: cuidar do corpo, uma alimentação equilibrada, exercício físico, relações saudáveis, ter tempo para realizar atividades de lazer e vários outros hábitos que propiciem à pessoa bem-estar e qualidade de vida.

A promoção da saúde é o processo que visa aumentar a capacidade dos indivíduos para controlarem a sua saúde, no sentido de a melhorar. Para atingir um estado de completo bem-estar físico, mental e social, o indivíduo deve ser capaz de identificar e realizar os seus desejos, satisfazer as suas necessidades e modificar ou adaptar-se ao meio.

Para saber o que é promoção de saúde, siga este link.

Ser saudável é um caminho que se traça diariamente nas mais pequenas escolhas que fazemos. Opte por uma vida mais plena e surpreenda-se com as diferenças que alguns gestos podem fazer.

Veja aqui mas informação sobre vida saudável.

Ser saudável não se limita àquilo que vemos no nosso corpo. Sentirmo-nos bem e felizes é uma parte importante da saúde e bem-estar e não deve ser descurada.

Encontre tempo para si e para quem gosta, dedique-se a novos hobbies e torne o tempo de lazer tão importante quanto o tempo que passa no trabalho. Alie a saúde à beleza. Embora seja importante gostarmos do nosso reflexo no espelho, é também fundamental não cair em extremismos. Dietas loucas não só podem ser perigosas como também se tornam difíceis de cumprir.

Veja aqui mais informação sobre beleza e saúde.

Aprenda a combater o stress. Com isto, ajudará a reduzir os níveis de stress, diminuindo a probabilidade de sofrer de problemas como a hipertensão, alergias, infecções causadas por baixa imunidade, etc para além de melhorar a qualidade de vida.

Super Chá da Vida

Super Chá da Vida

Super Chá da Vida Funciona? Para preparar chá é simples, basta uma colher de sopa das ervas em ½ litro de água e deixar ferver por 3 minutos. É recomendado tomar três vezes ao dia. Em pouco tempo de uso já é possível ver em exames a queda do nível da diabetes e até mesmo do colesterol ruim.

De acordo com a composição, você pode perceber que essa bebida age, principalmente, na redução de glicose, colesterol, filtragem sanguínea e ainda tem efeito sacietógeno. Por isso, aliás, muitos consideram este melhor chá para diabetes existente no mercado. Mas essa não é sua única função uma vez que seus ingredientes contam com diversos nutrientes e mecanismo de ação.

A efetividade do produto não está somente na escolha dos ingredientes de diversas funções, mas também na qualidade dos produtos escolhidos e a quantidade exata muito estudada para exercer os melhores efeitos. que me chamou mais a atenção é que a grande maioria dos artigos falavam super bem sobre produto e então deduzi que mesmo deveria funcionar.

A diabetes é um problema que atinge grande parte da população, além de ser uma das condições de saúde mais difíceis de manejar. Geralmente, as pessoas possuem pouco conhecimento sobre meios alternativos de tratamento capazes de aliviar e controlar os principais sintomas da doença.

As plantas e ervas medicinais selecionadas são de excelente qualidade e são métodos comprovados de reposição e controle da doença. Além disso, como é perceptível, esse é um método natural, livre de efeitos colaterais. Apenas mais um motivo para tentar usar super chá da vida.

Com visto no texto e no vídeo acima, Super Chá da Vida é um extrato a base de ingredientes 100% naturais, sem qualquer efeito colateral ou danos à saúde; pelo contrário: sã plantas medicinais com um poder incrível para auxiliar na melhora da saúde do corpo. Uma fórmula natural exclusiva para tratar a diabetes tipo 1 e 2.

Já nos primeiros dias de uso, super chá da vida auxilia no controle da diabetes, desintoxica organismo e reprograma corpo para um melhor funcionamento das atividades vitais. produto contém ainda vitaminas que vão te trazer mais saúde e qualidade de vida.

Super Chá da Vida funciona para quem quer desintoxicar organismo, ter sensação de saciedade, controle do colesterol ou para quem procura mais disposição para dia a dia. É formada por substâncias como os alcaloides e, além de reduzir a taxa de açúcar no sangue, também diminui os triglicerídeos, colesterol total e colesterol ruim”.

Super Chá da Vida funciona como um remédio natural, ou seja, irá atuar justamente na frente que for combater a diabetes. Por exemplo: pâncreas de um diabético não dá conta de produzir a insulina, chá irá atuar nisso e naturalmente irá fazer com que essa produção vá aumentando até se normalizar.

Conhecemos a graviola, outro ingrediente do super chá da vida, muito bem, mas não sabemos que ela faz na maioria das vezes. Esse princípio me ajudou e te ajudará a controlar a pressão arterial, combater inflamações pelo corpo e proteger contra a possibilidade de desenvolvimento de câncer. Seus benefícios, também, agem para controlar diabetes de forma muito efetiva.